Transição Socialista
   

Produções teóricas


11.10.2020 - Editoriais Produções teóricas

Crítica ao programa eleitoral do PSTU – parte 3

Esta é a terceira e última parte da crítica às posições eleitorais apresentadas pelo PSTU nestas eleições. Nesta parte do texto buscamos mostrar como a concepção de longo prazo do PSTU, propriamente estatista, contraria as posições dos clássicos do marxismo sobre o Estado.


11.10.2020 - Editoriais Produções teóricas

Crítica ao programa eleitoral do PSTU – parte 2

Esta é a segunda parte do texto de crítica ao programa eleitoral apresentado pelo PSTU nestas eleições. Nesta segunda parte, trataremos detalhadamente das propostas de curto prazo apresentadas pelo PSTU para uma “gestão socialista”


11.10.2020 - Editoriais Produções teóricas

Crítica ao programa eleitoral do PSTU – parte 1

O Partido Socialista dos Trabalhadores Unificados (PSTU) lançou há poucos dias dois materiais para orientar suas campanhas eleitorais municipais.Comentaremos detalhadamente as posições aí apresentadas e buscaremos demonstrar como são contrárias às formulações clássicas do marxismo. Como a crítica necessita ser detalhada, a dividiremos em três partes. A primeira, agora publicada, trata de concepções mais gerais, sobre estratégia comunista.


29.09.2020 - Produções teóricas

História da classe trabalhadora: o fascismo

A discussão sobre o fascismo voltou à ordem do dia, com a ascensão de Jair Bolsonaro à presidência da República. Pensamos, entretanto, que há muita confusão na caracterização do fenômeno, feita conscientemente por oportunistas que buscam confundir lutadores honestos. Mas, como diz a citação de Trotsky, um erro na caracterização do inimigo pode ter desdobramentos práticos muito sérios. Justamente por conta da necessidade fundamental de demarcar posição em relação a esses oportunistas é que faremos nossa modesta contribuição com essa série de conteúdo sobre o fascismo.


16.09.2020 - Produções teóricas

Marx e o Estado

A maior parte dos seguidores políticos de Marx tem uma concepção equivocada (contrária a Marx) sobre o Estado. Ou defendem reivindicações estatistas, que Marx abertamente crítica (por serem defensáveis pelo capital), ou querem gerir o Estado burguês (adaptados ao “cretinismo parlamentar”), ou caem no mito da “coisa pública” como invariavelmente progressista (ignorando que ela pode ser exploradora-capitalista).
Esclareceremos, com base nos próprios textos de Marx, por que tais posições estão equivocadas.


21.12.2019 - Produções teóricas

História da classe trabalhadora: o bonapartismo

Na série a seguir, olharemos para o sujeito histórico antagônico, o nosso inimigo: a burguesia e as suas diferentes formas de expressão política. Para conter de modo mais violento a luta da classe trabalhadora, a burguesia desenvolveu, ao longo da história, novas formas de dominação política. Falaremos especificamente do fenômeno do bonapartismo.


06.12.2019 - Produções teóricas

História da classe trabalhadora: direita e esquerda, além da ilusão

1. A origem Os termos esquerda e direita na política têm origem na Revolução Francesa. Num processo que foi marcado pela formação da Assembleia Nacional em 1789, sua substituição pela Assembleia Legislativa em 1791, pela convocação da Convenção Nacional em 1792, pela tomada do poder pelos Jacobinos em 1793, pelo […]


03.12.2019 - Produções teóricas

Para a Interpretação do Programa de Transição

“Este programa não é a invenção de um homem. Ele decorre da longa experiência dos bolcheviques. Repito: este programa é a concretização da experiência coletiva dos revolucionários. É a aplicação dos velhos princípios à situação atual.”


14.11.2019 - Produções teóricas

História da classe trabalhadora: a dualidade de poder

Nesse mês de outubro e no começo de novembro, sob o influxo das lutas que estão acontecendo agora, a TS vai produzir uma série de postagens sobre a dualidade de poder, isto é, sobre o processo de constituição de um poder paralelo pelos trabalhadores, contraposto ao poder oficial do Estado burguês, com as formas de luta e as formas organizativas forjadas pelos próprios trabalhadores na luta pela sua emancipação. Lembrar o passado, para nós, tem um propósito político muito claro: nos armar para as lutas do presente!


26.08.2019 - Centro de Formação Negação da Negação Produções teóricas

Sobre a suposta regressão colonial

O acordo recentemente assinado entre Mercosul e União Europeia deu pano para manga em discussões da esquerda brasileira. Para boa parte dela – PSOL, PSTU e organizações menores –, trata-se de um tipo de “regressão colonial”, o que os leva a ser, por esse motivo, contra a medida. Mas será que é disso mesmo que se trata?