Transição Socialista
   

O General do Exército precisa ser punido

O General do Exército Eduardo Villas Bôas precisa ser punido pelas declarações ilegais que fez. Além da Constituição, o próprio Regime Disciplinar do Exército proibe tais manifestações. Ora, se não é lícito aos militares de baixa patente se organizarem, terem representação sindical, elegerem comandantes, reivindicarem melhores salários, então por que é lícito à alta patente fazer declarações políticas?

E mais: como lembrou corretamente o companheiro Zé Maria, do PSTU, é uma grande hipocrisia os militares falarem de impunidade, uma vez que os terroristas militares que torturaram civis e militantes de esquerda durante décadas na Ditadura Militar de 1964-85 nunca foram punidos.

Deve-se lembrar que o Exército não foi punido graças ao pacto feito pelos governos pós 1988 para não haver punição. Durante os governos do PT, aliás, o Brasil foi condenado pela Corte Interamericana de Direitos Humanos por nunca punir os militares – condenação que o PT ignorou à época. O PT é um dos maiores responsáveis pelo Brasil ser um dos países mais atrasados da América Latina no quesito punição aos crimes das ditaduras. Por isso, é uma grande hipocrisia dos militares falarem contra impunidade, pois vivem na impunidade graças aos governos corruptos, entre eles os do PT. Não à toa a declaração oficial do PT, feita há pouco por Gleisi Hoffman, é totalmente dúbia e permite apoio à declaração do próprio Villas Bôas. O deputado petista Marco Maia afirmou ser a favor da declaração de Villas Bôas!

Não só Lula, mas também o general do Exército Eduardo Villas Bôas precisa ser punido!