Transição Socialista

bolsolulismo


26.03.2021 - Conjuntura Editoriais

Lula elegível: a solução burguesa para a crise de dominação

Frente à precipitação da crise social no país, resultado da avassaladora crise econômica e do descontrole absoluto da pandemia, a burguesia se encontra num patamar a cada dia mais elevado de ingovernabilidade. A maioria da população brasileira, por outro lado, está à beira da morte, seja pela fome, seja pelos efeitos da pandemia no seu momento mais crítico. É nesse contexto de incerteza e de progressiva ingovernabilidade no país que a burguesia busca criar alternativas políticas para a manutenção da sua dominação de classe, e, numa canetada do STF, recoloca Lula no páreo político. O lulismo ressurge como uma potencial saída para a dominação burguesa no Brasil.


13.08.2020 - Conjuntura Editoriais

Bolsonaro quer Lula candidato e Moro condenado

O mais novo capítulo do bolsolulismo consiste em tornar Lula elegível e Moro inelegível. Cumpre-se assim o programa de Romero Jucá: estancar a Lava-Jato pra salvar Lula e assim salvar todo mundo.


26.04.2020 - Conjuntura Editoriais

A queda de Moro e o futuro da esquerda brasileira

A saída de Moro foi preparada por Bolsonaro junto com os líderes do corrupto centrão. Estes defenderiam Bolsonaro de um impeachment, mas em troca queriam a saída do ministro e muitos cargos. O PT, toda vez que há chance real de Bolsonaro sair, recua, pois tudo o que Lula quer é enfrentar Bolsonaro em 2022 (e vice-versa). Uma esquerda de verdade tem de ser absolutamente contra Bolsonaro e Lula.


21.10.2019 - Conjuntura Editoriais

Bolsolulismo, bombeiro de um continente em chamas

Frente à instabilidade social mundial (passeatas e protestos), a burguesia se desespera, em crise de hegemonia política. A América Latina caminha para a ingovernabilidade. No Brasil a burguesia desenha um caminho: o bonapartismo. O bolsolulismo terminará com a soltura do chefe petista para salvar a nação capitalista.


16.09.2019 - Conjuntura Editoriais

Abaixo o acordo Bolsonaro-PT!

O bolsolulismo é a principal corrente política em Brasília hoje. O nome de Aras para a PGR foi indicação velada de Jaques Wagner, quem hoje dá as cartas do PT em Brasília. Aras é a materialização do acordo Bolsonaro-PT. A CPI da Lava-Toga, entretanto, pode quebrar o acordão.